Com abertura do comércio em Caxias, escolas infantis particulares também pressionam para retornar atividades

Após o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ceder a pressão dos prefeitos da Serra Gaúcha e permitir o retorno gradual do comércio nesta quinta-feira (16), um grupo de proprietárias de escolas infantis […]


Publicado por Adriano Padilha

há 1 ano atrás

Compartilhar

Após o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ceder a pressão dos prefeitos da Serra Gaúcha e permitir o retorno gradual do comércio nesta quinta-feira (16), um grupo de proprietárias de escolas infantis de Caxias também quer retomar as atividades. Elas produziram um protocolo de higienização para o ambiente escolar, profissionais e crianças. As aulas presenciais em instituições públicas e privadas estão suspensas por decreto municipal até o dia 30 de abril.

A representante do grupo que protestou em frente à prefeitura de Caxias do Sul, Tais Guerra de Souza, pede a abertura gradual também das escolas. Para Tais, com a abertura do comércio, os pais vão precisar ter onde deixar os filhos. “Muitas vezes as crianças saem de casa para ficar com avós ou mães crecheiras, colocando em risco essas pessoas, pois elas não tomam as devidas precauções para evitar a contaminação. Para isso criamos o protocolo de prevenção”, salientou.

A presidente do Sindicato das Instituições Pré Escolares Particulares (SinPré) de Caxias do Sul, Christiane Welter Pereira, salienta que “a intenção não é burlar o decreto”, mas diante do panorama de retomada do comércio, a entidade representativa pede a liberação a partir de maio. A mandatária do SinPré afirma que foi encaminhado ao gabinete da Casa Civil do Estado um ofício explicando a necessidade do serviço. Um dos pontos do texto solicita que a Educação Infantil possua medidas únicas e exclusivas
adaptadas à realidade da pandemia de Covid-19.

Infectologistas indicam crianças como vetores de contaminação

Mesmo fora do grupo de risco do novo Coronavírus, as crianças ainda podem apresentar sintomas da doença causada pelo Covid-19. Contudo, conforme alerta o infectologista pediátrico cearense Robério Leite, “as crianças desenvolvem, geralmente, sintomas mais leves, mas podem se tornar vetores da Covid-19. Elas já são as principais transmissoras das infecções respiratórias gerais. Aí vem a importância de manter a suspensão de aulas nas escolas, pois quando infectadas, é mais fácil contaminar os grupos de risco”.

Generic placeholder image
Por Adriano Padilha

há 1 ano atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Entardecer na Querência

    A SEGUIR

    • Programa Clube do Ouvinte

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider