noticias

Resgate de 49 Pugs no Vale do Caí vira caso de polícia


Uma ONG de Porto Alegre, denominada S.O.S PUG realizou na última sexta-feira (2) o resgate de 49 cães da raça Pug, que segundo denuncias de vizinhos, estavam em situação de maus tratos em um local utilizado como criadouro. A casa fica no bairro Conceição, às margens da ERS-122, em São Sebastião do Caí.

O fato gerou confusão, pois 17 ativistas entraram na residência, arrombando o cadeado. A dona do espaço informou a polícia que houve invasão de propriedade privada.

De acordo com os voluntários da ONG, inicialmente eles foram até a residência para tentar conversar com a proprietária e ver os animais, contudo foram barrados pela mulher. Mais tarde, 17 voluntários, dentre eles um médico veterinário, adentraram no espaço quebrando o cadeado e encontraram os animais em um ambiente, descrito por eles como insalubre.

O médico veterinário informou a Brigada Militar que atendeu a ocorrência, de que no local havia animais com pneumonia, cinomose (doença viral), anemia, tumores, desidratação e problemas oculares. Assim como tem um animal já de idade avançada, com obesidade e ainda é utilizada para a reprodução, pois está em gestação.

A S.O.S Pug informou que antes de adentrar a residência havia informado da ação a Brigada Militar e ao Ministério Público. O caso de maus tratos, assim como a invasão a propriedade está sendo investigado pela Polícia Civil de São Sebastião do Caí.

Um clube de assistência a causa animal de Porto Alegre, divulgou uma nota sobre o caso. Confira na íntegra

“O Kennel Clube do Rio Grande do Sul repudia veementemente quaisquer formas de maus-tratos ou situações que impliquem em desconforto e danos à saúde dos animais.

No dia de ontem (02/10) a comunidade cionófila restou estarrecida com notícia amplamente divulgada nas redes sociais (inclusive pelo próprio protagonista) do arrombamento, invasão, destruição e retirada de cães da raça PUG, da residência de uma criadora na cidade de São Sebastião do Caí-RS.

O Kennel Clube do Rio Grande do Sul, condena a atitude arbitrária e violenta das pessoas que orquestraram e praticaram a ilegal invasão da propriedade privada em total afronta ao art. 5º, XI, da Constituição Federal, bem como o art. 150 do Código Penal, uma vez que adentraram ao domicílio, sem poder de polícia, sem autorização judicial, ou da proprietária ou detentora da residência, situação essa que não se respalda nas exceções legais, havendo portanto, o cometimento de crime que acarretam consequências penais.

Ninguém tem o direito de violar o domicílio sem autorização para tal.

O Kennel Clube do Rio Grande do Sul está atento às leis que tratam de situações que podem ser consideradas de maus-tratos aos cães, muito embora o tema remeta a diversas interpretações, porém, toda vez que houver comprovação de práticas inadequadas que afetem o bem estar e saúde dos cães, será implacável no sentido de punir associados. Todavia, para isso, formalidades tem que ser seguidas, como representações ao clube, ocorrências policiais, o devido processo legal, etc, mas jamais a utilização de violência, sem qualquer autorização ou mandado judicial.

Por fim, o Kennel Clube do Rio Grande do Sul, reitera que sempre atuará na defesa dos direitos de seus associados, quando estes demonstrarem a correção de suas práticas de criação e zelo pelos animais, assim como reiteramos nosso apego ao diálogo, à democracia e ao estado de direito, no sentido de construir uma cinofilia melhor para todos.”

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *