Prefeitura de Caxias registra ocorrência sobre falso áudio compartilhado em redes sociais

Após circular em grupo de WhatsApp nesta semana, um áudio com supostas denuncias contra o prefeito Adiló Didomenico, a prefeitura emitiu uma nota com esclarecimentos e relatando que vai tomar as medidas cabíveis. De acordo […]


Publicado por Adriano Padilha

há 7 meses atrás

Compartilhar

Após circular em grupo de WhatsApp nesta semana, um áudio com supostas denuncias contra o prefeito Adiló Didomenico, a prefeitura emitiu uma nota com esclarecimentos e relatando que vai tomar as medidas cabíveis.

De acordo com o áudio encaminhado nos grupos de Whats, o prefeito recusou-se a receber ajuda de empresários para a saúde pública de Caxias. No áudio também cita que o presidente do Sindigêneros, Eduardo Slomp, estava com problemas de saúde. Segundo a nota, jamais houve a conversa entre Adiló e Eduardo, além de que há sim um movimento dos empresários e instituições para o combate a pandemia no município, porém não da forma que foi citada no áudio. A prefeitura ainda pede a colaboração da população com os cuidados em relação a Covid-19 e a não proliferação de notícias falsas.

A prefeitura relata que fará um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil para responsabilizar o autor das acusações. Confira a nota da prefeitura de Caxias do Sul na íntegra:

A Prefeitura de Caxias do Sul adotará as medidas judiciais cabíveis, iniciando com o registro de Boletim de Ocorrência (BO) na Polícia Civil contra o autor de áudio compartilhado pela plataforma WhatsApp acusando o prefeito Adiló Didomenico de ter se negado a receber suposta ajuda feita por empresários para auxiliar na solução dos graves problemas de saúde pública decorrentes da pandemia do coronavírus. Em momento algum, o prefeito teve a conversa citada em áudio com o presidente do Sindigêneros, Eduardo Slomp, que igualmente não sofreu a alegada isquemia, menos ainda a hospitalização. Basta um contato com o empresário, um dos diretores da rede MultiMercados, para tomar conhecimento de que o áudio tem informações falsas, mentirosas, irresponsáveis e ofensivas aos gestores públicos.

É preciso registrar que existe, sim, um movimento do setor empresarial, tendo à frente o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, de investir recursos próprios para tornar a UBS São Vicente em referência no tratamento de pacientes com sintomas leves. Desde o primeiro momento, a Administração Municipal se empenhou em trabalhar junto com os dirigentes das duas entidades empresariais para tornar a proposta uma realidade no prazo de tempo mais curto. Espera-se que isto ocorra já no decorrer da próxima semana.

Também é preciso lembrar que as próprias entidades empresariais reagiram, com indignação, ao áudio difundido durante a semana com informações inverídicas sobre ações do poder público. Jamais o prefeito Adiló Didomenico e os gestores pela área da saúde, que têm agido incansavelmente e com responsabilidade, abririam mão da colaboração de qualquer segmento da comunidade que se prontifique a auxiliar neste momento de dificuldades nunca antes enfrentadas não apenas na cidade, mas em muitos países.

Áudios como os veiculados nos últimos dias em grupos de WhatsApp, com informações inverídicas sobre ações da Prefeitura de Caxias do Sul, ou compartilhamento por lideranças locais de mensagens apócrifas como sendo uma visão geral do empresariado, não contribuem em nada para o combate à pandemia, que tem tirado a vida de milhões de pessoas mundo afora, sendo 554 em Caxias do Sul – dados deste sábado (13). Estas condutas somente evidenciam um pensamento autoritário, antidemocrático e descompromissado com a realidade, que exige, de todo o cidadão/cidadã de bem, uma visão de conjunto, de colaboração e sacrifício para colocar fim a este momento crítico para a saúde das pessoas e das empresas.

A solução virá de um comportamento solidário, de participação, de diálogo e de uma cobrança isenta de conteúdo ideológico. O que mais se precisa, neste momento, é de sensibilidade e caráter comunitário para superar a crise de saúde e econômica. Prestar-se a inventar conversas que jamais existiram e fazer denúncias irresponsáveis só alimenta o caos, que não interessa à maioria. Esta quer e precisa de soluções. Os que ainda se associam ao obscurantismo e à falsidade, certamente, não terão espaço na sociedade do futuro, que prezará pela verdade, ciência e justiça.

A Prefeitura não tem poupado esforços físicos e financeiros para colocar à disposição da comunidade o mais amplo suporte de saúde possível, investindo em leitos de UTI, equipamentos, acréscimo de pessoal e estruturas. Mas tem sido insuficiente diante do potencial devastador da doença. É preciso que todos entendam, definitivamente, que cada um deve fazer a sua parte, usando máscara, evitando aglomerações e lavando as mãos ou usando álcool em gel frequentemente. A Prefeitura reconhece as dificuldades do setor empresarial e tem defendido, junto ao Governo do Estado, medidas que garantam o funcionamento mínimo dos setores produtivos. Mas a saúde de cada cidadão precisa ser priorizada neste momento. E não serão denúncias e acusações vazias que desviarão a Administração Municipal de Caxias do Sul deste propósito.”

Generic placeholder image
Por Adriano Padilha

há 7 meses atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Alto Astral

    A SEGUIR

    • Programa Jornal Leouve

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider