Pais de alunos pedem manutenção do decreto que prevê suspensão das aulas presenciais

O fim da suspensão das aulas está deixando muitas famílias com dúvidas sobre a segurança das crianças e dos adolescentes, caso haja um retorno após o fim do decreto estadual pela pandemia de Coronavírus. Em […]


Publicado por Adriano Padilha

há 12 meses atrás

Compartilhar

O fim da suspensão das aulas está deixando muitas famílias com dúvidas sobre a segurança das crianças e dos adolescentes, caso haja um retorno após o fim do decreto estadual pela pandemia de Coronavírus.

Em Caxias do Sul, pais de alunos estão promovendo um abaixo-assinado online para solicitar a manutenção da suspensão das aulas durante o período de contágio do coronavírus. Eles pedem a reprogramação do calendário escolar, além de uma programação de ensino a distância para evitar aglomeração nas salas de aula. Um dos argumentos defendidos na página é relacionado às crianças assintomáticas à doença. “Uma criança infectada assintomática vai contaminar toda a sala de aula, e provavelmente esse vírus se propagará a todos os seus familiares no retorno para suas casas.”

Liliane Brasil, mãe de um aluno de 6 anos que faz parte do grupo de risco, pede a manutenção do decreto que prevê a suspensão das aulas. “Estamos passando por algo jamais imaginável, algo surreal. Diante do cenário que vivemos, é impossível eu sequer pensar na possibilidade de meu filho voltar a escola nesse momento. Não é um bom momento para testes e sim de cuidado e precaução. Independente de qual decisão a ser tomada pelos órgãos públicos meu filho não voltar à vida escolar, não nesse momento.
Isso sim seria falta de responsabilidade”, desabafa.

Kelli Bernardi, mãe de um aluno da rede privada de ensino, vê esse momento de quarentena como um desafio, pois além de administrar as suas aulas da faculdade, precisa ajudar o filho nas atividades escolares. “O conteúdo é extenso e demanda auxílio por parte dos responsáveis. Mas o simples fato de saber que ele está em casa em segurança, me deixa mais tranquila. Da mesma forma que algumas pessoas que defendem o fim do isolamento, argumentam dizendo que os menores não tem maturidade para administrar atividades a distância, também acho que eles não tem maturidade para se cuidar em relação ao Coronavírus”, argumenta Kelli.

A genitora ainda complementa que: “se aulas retornarem meu filho não volta. Estou ciente em relação ao que prevê a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente, mas meu filho não vai correr esse risco. Nossa reivindicação é para que, caso o decreto não seja prorrogado, a volta as aulas seja facultativo”.

Uma professora, que preferiu não se identificar, concorda com reivindicação dos pais. “Acredito q as escolas não devem retornar, até porque, escola não é depósito de filhos e sim local de aprendizado. Mesmo com medidas restritivas, os estudantes, com grandes necessidades de socialização e contatos não conseguirão atender as normas de distanciamento e de higiene”, esclareceu a docente.

Além do abaixo-assinado online, que até às 18h40 havia sido preenchido por 374 pessoas, os pais também organizaram um grupo de discussão no WhatsApp e uma página no Facebook também auxilia no debate sobre o assunto.

Generic placeholder image
Por Adriano Padilha

há 12 meses atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Bom Dia Trabalhador

    A SEGUIR

    • Programa Alto Astral

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider