noticias

Caxias do Sul: impacto da pandemia no comércio gera queda de 14,8% nas vendas em março


A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Caxias do Sul divulgou em coletiva de imprensa virtual nesta terça-feira (19) o desempenho econômico no comércio do município. O tradicional levantamento realizado pelo Núcleo de Informações de Mercado da entidade aponta que em março houve retração nas vendas de 14,87% frente ao mês de fevereiro. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o resultado foi de queda de 12,43%.

Para o assessor de economia e estatística da CDL Caxias do Sul, Mosár Leandro Ness, os índices registrados em março pelo comércio caxiense já apontam os efeitos da crise provocada pelo coronavírus (Covid-19), que foi agravado com suspensão das atividades no dia 21 de março.

“O comércio está entre os setores mais afetados pela paralisação das atividades em função do isolamento social, ao lado dos segmentos de serviços e turismo. Os dados apontam, ainda, aumento da inadimplência e uma diminuição significativa da procura por crédito, o que mostra que as pessoas estão reduzindo a intenção de compra e adotando um comportamento mais cauteloso em relação aos próximos meses”, analisa.

No ramo duro, a variação entre janeiro e março de 2020 registrou uma retração de 15,87%. Entre os resultados de queda mais expressivos estão o dos setores de óticas, joalherias e relojoarias, com – 36,72%, e no de eletrodomésticos, móveis e bazar, com decréscimo de 38,54% nas vendas.

Já no ramo mole, as farmácias registraram aumento de 8,38% em relação ao mês de fevereiro. Entretanto, vestuário, calçados e tecidos apresentaram redução de 15,92%, e as livrarias, papelarias e brinquedos mostraram um resultado de queda ainda mais acentuado, de 21,97%.

Já o sistema CDL/SPC identificou que em março ocorreu aumento de 5,27% na inclusão de novas dívidas na comparação com o mês de fevereiro, contra uma queda de 12,29% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados também demostram que em março a base de inadimplentes apresentou crescimento de 4% em relação ao mês de fevereiro.

DESTAQUES DO TERMÔMETRO DE VENDAS (MARÇO DE 2020):

· O comércio em geral encerrou março de 2020 com queda de 14,87% em relação ao mês de fevereiro. Se comparado a igual período de 2019, a redução chega a 12,48. No ano (de janeiro a março) houve um decréscimo de 4,17% e no acumulado de 12 meses o resultado fechou com alta de 6,28%, apresentando-se pelo oitavo mês consecutivo com um número positivo.

· No ramo duro, a variação entre janeiro e março de 2020 registrou uma retração de 15,87%. Em termos reais, descontada a inflação em relação ao mesmo período do ano anterior, há queda nas vendas de 12,78% e no acumulado de 12 meses observou-se um crescimento de 10,26%. Em termos nominais, não houve desempenho positivo no mês de março na categoria. Informática e Telefonia apresentaram queda de 10,25%; Automóveis, Caminhões e Autopeças novos, – 8,91%; Óticas, Joalherias e Relojoarias, -36,72%; Material de Construção, -6,93%; Materiais Elétricos, -25,61%; Eletrodomésticos, Móveis e Bazar, -38,54%; e Implementos Agrícolas, -29,12%.

· No ramo mole, a variação entre janeiro e março de 2020 foi de – 14,87%, contra -4,09% do mês anterior. Já em termos reais, descontada a inflação, a variação sob o mesmo período de 2019 é de -11,17% e no acumulado de 12 meses uma retração de 9,18%. No setor, o desempenho positivo foi registrado em Farmácia, com 8,38%. Já os segmentos que apresentaram resultado negativo ao longo do mês foram: Vestuário e Calçados e Tecidos, com -15,92%; Produtos Químicos, com -18,70%; e Livraria, Papelaria e Brinquedos, com -21,97%.

· Em março, a base de inadimplentes cresceu 4% em relação ao mês de fevereiro e apresentou aumento de 3,92% em relação ao mesmo período do ano passado.

· Ainda em relação à inadimplência em Caxias do Sul, houve aumento de 5,27% na inclusão de novas dívidas em março de 2020, em comparação com o mês anterior.

· Em valor, o estoque de dívidas em março se manteve estável (0,58%) em relação ao mês de fevereiro. Já nos últimos 12 meses, houve uma retração de 8,82%.

· As consultas ao sistema CDL/SPC diminuíram 19,78% em relação a fevereiro e também reduziram 20,43% na comparação com o mesmo mês de 2019.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *