Manifestantes anti-racismo e contra Bolsonaro voltam a protestar em Caxias do Sul

Mesmo com uma garoa fina e uma temperatura de cerca de 8 graus, manifestantes contra o presidente Jair Bolsonaro, contra o racismo e o fascismo e favoráveis à democracia protestaram em Caxias, durante a tarde […]


Publicado por Adriano Padilha

há 10 meses atrás

Compartilhar

Mesmo com uma garoa fina e uma temperatura de cerca de 8 graus, manifestantes contra o presidente Jair Bolsonaro, contra o racismo e o fascismo e favoráveis à democracia protestaram em Caxias, durante a tarde deste domingo (07). Assim como ocorreu no último domingo, o grupo de cerca de 200 manifestantes posicionaram por volta das 15h, na Av. Rio Branco, em frente ao ao 3º Grupo de Artilharia Antiaérea – 3º G A AAe.

Com faixas de “Fora Bolsonaro” e “Marielle Vive”, e aos gritos de “fascistas não passarão”, os manifestantes permaneceram por aproximadamente uma hora no local. A Brigada Militar, Guarda Municipal, Fiscalização de Trânsito e soldados do exército acompanharam de perto a movimentação do protesto.

Cancelada pelas redes sociais durante a semana o ato pró governo Bolsonaro, recebeu um grupo de dez pessoas, que utilizaram bandeiras do Brasil e roupas camufladas para demostrar o apoio ao presidente. Além de gritos de provocação não foram registrados conflitos durante a manifestação.

Pelo Brasil
No Brasil, manifestantes lembraram outras mortes, como a do jovem João Pedro, que foi morto dentro de casa, durante uma operação policial da Polícia Federal, em parceria com a Polícia Civil, no Complexo do Salgueiro, em 17 de maio.

Em uma das faixas, os manifestantes protestam que “As mães negras não aguentam mais chorar”, e fotos e cartazes relembram chacinas e outros episódios de violência contra pessoas negras nos últimos anos.

Porto Alegre
Na capital gaúcha os manifestantes contra o presidente Jair Bolsonaro concentraram-se na Esquina Democrática, no Centro Histórico, no início da tarde deste domingo (07). Um grupo de manifestantes foi atacado por com ovos jogados de uma janela de um apartamento na Av. Borges de Medeiros.

São Paulo
Em outras cidades como São Paulo também foram programados protestos. Na capital paulista os atos são acompanhados pela Polícia Militar, que postou neste domingo (7) fotos de materiais para fabricação de coquetéis molotov apreendidos.

As forças de segurança do Estado de São Paulo prepararam um esquema reforçado de policiamento para as manifestações deste domingo, informou a Secretaria de Segurança Pública ainda no sábado (06). Mais de quatro mil policiais garantiram a segurança da população, a preservação do patrimônio e o direito de livre manifestação, informou o governo.

Rio de Janeiro
Um protesto contra o racismo e a violência policial levou manifestantes ao centro do Rio de Janeiro na tarde de hoje (07), em uma caminhada que seguiu pela Avenida Presidente Vargas depois de ter partido do Monumento a Zumbi dos Palmares, nos arredores da Central do Brasil.

O ato é a segunda marcha Vidas Negras Importam na cidade. Na semana passada, os manifestantes protestaram em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo do estado do Rio de Janeiro.

Generic placeholder image
Por Adriano Padilha

há 10 meses atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Domingo Show

    A SEGUIR

    • Programa Entardecer na Querência

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider