Com apoio da oposição, deputados gaúchos aprovam “tarifaço” de Eduardo Leite

Por volta das 16h30, já na segunda sessão extraordinária virtual realizada nesta terça-feira (22), o plenário aprovou o projeto que trata da reforma tributária, incluindo a manutenção do ICMS majorado de 30% sobre combustíveis, energia […]


Publicado por Adriano Padilha

há 4 meses atrás

Compartilhar

Por volta das 16h30, já na segunda sessão extraordinária virtual realizada nesta terça-feira (22), o plenário aprovou o projeto que trata da reforma tributária, incluindo a manutenção do ICMS majorado de 30% sobre combustíveis, energia e comunicações até 2021. O PL 246/2020, do Poder Executivo, que institui o Código de Boas Práticas Tributárias do Estado do Rio Grande do Sul, cria o Conselho de Boas Práticas Tributárias, autoriza a criação das Câmaras Técnicas Setoriais, estabelece hipóteses de acordos setoriais de boas práticas, institui o Programa de Esitímulo à Conformidade Tributária – ”Nos Conformes RS”, recebeu 28 votos favoráveis e 25 contrários.

Cinco emendas foram apresentadas, sendo que duas do líder do governo, deputado Frederico Antunes (PP) e uma do deputado Luiz Fernando Mainardi (PT), foram retiradas; e uma do deputado Dr. Thiago Duarte (DEM) foi prejudicada pela aprovação, por 30 votos a 22, do requerimento de Mainardi para a preferência de votação de emenda do PT apresentada. Essa emenda, que foi aprovada por 29 votos a 25, reduziu a manutenção do ICMS majorado ao ano de 2021 (texto original previa a prorrogação até 2024) e reduziu a alíquota básica do imposto a 17,5% em 2021 (governo queria manter a alíquota em 18% no próximo ano). O objetivo do PT, que teria sido acatado pelo governo, é de que R$ 1,5 bilhão arrecadado no próximo ano com o ICMS majorado seja destinado ao processo de vacinação contra o coronavírus pelo Estado, caso não haja implementação do governo federal.

Na primeira sessão do dia, pela manhã, não houve votações, apenas a manifestação dos parlamentares sobre a proposta e as emendas apresentadas. No total, 20 deputados utilizaram a tribuna do Plenário 20 de Setembro ou se pronunciaram virtualmente. Outros quatro já haviam discutido o projeto na sessão da última quinta-feira (17), quando ele começou a ser apreciado.

Já na segunda sessão, à tarde, seguiu o período de encaminhamento do requerimento de preferência de Mainardi, que começou na sessão anterior. Manifestaram-se favoravelmente Frederico Antunes (PP), Luciana Genro (PSOL) e Pepe Vargas (PT). Já Dr. Thiago Duarte (DEM), Fábio Ostermann (Novo), Any Ortiz (Cidadania), Tenente-coronel Zucco (PSL) e Issur Koch (PP) se pronunciaram contra.

Na sequência, houve encaminhamento da emenda do PT, com a participação de Luiz Fernando Mainardi (PT), Frederico Antunes (PP) e Dalciso Oliveira (PSB), que manifestaram voto favorável, e Sérgio Turra (PP), Juliana Brizola (PDT), Giuseppe Riesgo (Novo) e Dr. Thiago Duarte (DEM), que manifestaram voto contra. Por fim, no encaminhamento do texto do projeto, apenas Mainardi e Ostermann se pronunciaram.

Votos favoráveis à manutenção do ICMS em 30%:

PT: Pepe Vargas; Edegar Pretto; Fernando Marroni; Jeferson Fernandes; Luiz Mainardi; Sofia Cavedon; Valdeci Oliveira e Zé Nunes.

MDB: Fábio Branco; Gabriel Souza; Gilberto Capoani e Juvir Costella.

PL: Airton Lima

Progressistas: Frederico Antunes e Silvana Covatti.

Solidariedade: Neri, o Carteiro

PSDB: Mateus Wesp; Luiz Henrique Viana e Pedro Pereira.

Psol: Luciana Genro

PSB: Dalciso Oliveira e Franciane Bayer.

Republicanos: Fran Somensi

PTB: Aloíso Classmann; Dirceu Franciscon; Elizandro Sabino; Kelly Moraes e Luiz Augusto Lara

Abstenção: Edson Brum (MDB)

Generic placeholder image
Por Adriano Padilha

há 4 meses atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Clube do Ouvinte

    A SEGUIR

    • Programa Viva na Madrugada

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider