Cerca de 15 animais são abandonados diariamente em Caxias do Sul

Diariamente vemos casos de maus tratos e abandono de animais em Caxias do Sul e cidades da Serra Gaúcha. O descontrole da superpopulação canina e falta de políticas que auxiliem nesses casos, revelam a necessidade […]


Publicado por Rafaela Vargas

há 2 meses atrás

Compartilhar

Diariamente vemos casos de maus tratos e abandono de animais em Caxias do Sul e cidades da Serra Gaúcha. O descontrole da superpopulação canina e falta de políticas que auxiliem nesses casos, revelam a necessidade de maior atenção aos animais.

No município, recentemente tivemos um caso que circulou nas redes sociais onde em um vídeo é possível ver uma mulher empunhando um cabo e desferindo diversos golpes contra um cachorro, no bairro Parque Oasis. De acordo com testemunhas que denunciaram a ação, as agressões ao animal acontecem com frequência.

onforme o coordenador do Departamento de Proteção Animal do Canil Municipal e médico veterinário, Paulo Vinicius Bastiani, o abandono aumentou muito na pandemia, são cerca de 15 a 20 animais por dia, o que gira em torno de 450 animais/média abandonados por mês, “A gente conta muito com a ajuda das ongs pela situação de não podermos absorver todos estes cães, seria uma média de 15 a 20 animais por dia no canil. O abandono aumentou muito na cidade pela questão da pandemia”.

No Canil Municipal de Caxias do Sul, já soma-se 564 cães atendidos, todos micro-chipados. No momento um gato está em tratamento, após sua recuperação ele deve ser encaminhado para uma ong que faz o trabalho de encaminhar os felinos para adoção.

Uma das questões levantadas pelo coordenador é sobre a situação dos animais de rua que são recolhidos, “Esses animais todos, a gente vai fiscalizar em qual situação eles estão, porque animais sadios a prefeitura não recolhe”, fala.

Muitos animais são encontrados nas ruas, mas o recolhimento vai depender da situação que ele se encontra. Pois conforme Paulo, não é possível absorver mais, sendo que o canil já se encontra em grande número. Em caso de maus tratos, é necessário alguma comprovação, como um vídeo ou testemunha, ou até mesmo que o animal tenha lesões compatíveis com essa agressão para que ele seja movido ao abrigo.

Ele salienta que de qualquer forma é possível fazer a denúncia através do site da prefeitura, pela aba de maus tratos e situação de vulnerabilidade dos animais.

Os que são recolhidos, são animais que necessitam de cuidados médicos que não possam ser realizados no local. O cão atropelado, o cão com lesões mais sérias, por brigas ou agressão que sofreu, então estes animais são recolhidos”, fala.

No caso de situação de maus tratos pelo tutor, após ser verificado o caso, é ofertado um tempo de adequação. Conforme Bastiani, muitas vezes a pessoa tem um animal e ela está negligenciando inconscientemente alguma situação que o animal precisa. Caso as medidas não sejam adotadas, a pessoa passa por uma autuação e é penalizada pelo crime.

A violência contra animais é crime e passível de três meses a um ano de reclusão, além de multa conforme conta no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/98.

Como adotar:

Os cães do espaço, em sua maioria são adultos, de médio e grande porte, com idades entre 7 e 8 anos. Muitas vezes estes animais não são adotados, pois não fazem o perfil que muitos buscam, que são novos e de porte pequeno.

Aproximadamente quatro pessoas por semana que vão até lá, conhecem os animais, para uma possível adoção, mas nem sempre levam algum para casa.

A adoção ela é mediante a agendamento na Semma pelo contato 3901-1445 e funciona de segunda a sábado, com horários na parte da manhã, às 10h e as 11h e às 14h e 15h.

A pessoa precisa levar um documento com foto e um comprovante de residência e a partir desse momento ela vai, escolhe seu animal estando em condições de adotá-lo já sai de lá com seu novo amigo. “Com a adoção é possível reduzir o alto número de cães atendidos, além de ofertar uma vida mais digna”, afirma Paulo.

Novo espaço para canil

O Canil Municipal ele é mantido pela prefeitura. Medicamentos e todos os cuidados que os animais precisam, a prefeitura mantém. Mas a população também auxilia de algumas formas. Uma das doações que são de grande valia são a de materiais de construção em bom estado, como telhas, tijolos, sacos de cimento, isso ajuda na manutenção dos recintos; além de doações de recintos, isso mediantes algumas regras.

A equipe atual, conta com três médicos veterinários, uma estagiária de medicina veterinária e seis funcionários ao dia, dois no horário vespertino e noturno e dois no período da madrugada.

O objetivo é realocar o espaço para que possam ter uma nova estrutura para atender os animais. Estão em análise três localidades em regiões mais afastadas. A expectativa é de que até setembro seja anunciado um novo local.

A própria estrutura dele vai nos facilitar a higienização das baias, manejo dos animais. Então, com leve aumento no número de funcionários, vai propiciar um melhor rendimento e um melhor trabalho para todo mundo”, diz o coordenador.

Legislativo Caxiense

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente (CSMA) do Legislativo caxiense na tarde de sexta-feira (23) se reuniu para debater a situação da causa animal.

Em relação ao Castramóvel, que será adquirido a partir de uma emenda parlamentar de R$ 168.496 destinada ao município. Conforme o secretário Osório lembrou a recente visita à cidade de Esteio, onde o projeto está quase se iniciando, ele disse que faltam detalhes técnicos em relação ao encaminhamento da verba para o Executivo.

Já foram castrados 1.337 cães e gatos, sendo que devem chegar a cerca de 6.000 até dezembro.

Generic placeholder image
Por Rafaela Vargas

há 2 meses atrás

Compartilhar
    lens

    AGORA

    • Programa Bom Dia Trabalhador

    A SEGUIR

    • Programa Alto Astral

Previsão do tempo

Loading...
weather icon

°C

Parceiros

previous arrow
next arrow
Slider